P_Hotel_Fachada_Aerea_p01-(1)

Hotel Van der Werf
1 lugar no concurso HBC Hotel Van der Werf
Holambra – SP

INTRODUÇÃO

Conectando o conceito plural com a forma, uso e estética do edifício, chegamos a uma configuração que além de atender aos anseios do produto, traz em si um grande acervo de soluções e ideias que poderão ser traduzidos em estímulos para os sentidos.

Uma multiplicidade estratégias sustentáveis e saudáveis, que organizados, fecham um conceito disruptivo que abraça nossa nova realidade.

É certo que hoje, novos paradigmas farão parte do dia a dia das pessoas que tiveram a oportunidade de experimentar a sua vida em outro formato e desejam estar mais em sintonia com os espaços que utilizam, percebendo também novas necessidades cotidianas, além de  descobrirem o quanto podem estar reconectados ao nosso planeta.

O Hotel Van Der Werf, oferece esta realidade para o seu hóspede e o transforma em agente multiplicador da consciência pela experiência.

CONCEITO

O Hotel que mimetiza um barco a velas, faz uma homenagem a família Vander Werf (werf em holandês estaleiro) que por diversas gerações foram fabricantes de barco. A ideia não traz apenas a estética para este universo, mas também a funcionalidade. A cobertura assume o papel de melhorar o desempenho térmico e acústico do edifício. O térreo alagado, estabelece a conexão com os polders holandeses e tem como função serem cisternas abertas integradas ao paisagismo. Paredes verdes filtram as águas pluviais e as águas cinzas são filtradas por wetlands e também armazenadas nos polders sendo reutilizadas no hotel. As camas suspensas por cordas de barcos, balançam e proporcionam um sono regenerador trazendo uma sensação táctil de estar navegando sobre os polders consolidando a memória, segundo estudos Suíços publicado na revista Current Biology – adultos que dormem balançando consolidam a memória mais facilmente.

Estabelecer um conceito arquitetônico que contenha a abrangência holística da saúde e sustentabilidade, extrapola o universo do desenho projetual e alcança o Estado da Arte de projetar para pessoas, por pessoas. Uma espécie de “descoberta” de um novo caminho para alcançar um planeta íntegro e integral.

Existem muitos pontos em comum entre a vela do barco e do moinho, a água, o sono regenerador, a arte, a saúde e a sustentabilidade.

Palavras em comum que se aplicam e se conectam como estruturadoras do conceito deste projeto:

  • Abrigo
  • Aconchego
  • Água
  • Aprofundar
  • Arquétipo
  • Balanço
  • Bem-estar
  • Calmaria
  • Cuidar
  • Cultura
  • Emergir
  • Etéreo
  • Expandir
  • Expansão da Alma
  • Letargia
  • Mergulhar
  • Movimento
  • Profundo
  • Regenerar
  • Sonhar
  • Sentidos
  • Segurança
  • Vida

 

 

 

 

 

 

 

 

 

P_Hotel_recepcao

diagrama

Holanda, potência marítima e de engenharia do século XI ao século XVII

Barcos e Moinhos Holandeses inspiram a cobertura do Hotel Van Der Werf

Em homenagem a família Van der Werf, (Werf em Holandês significa Estaleiro), o Atelier O’R traz o design das velas dos barcos, para conviver com a arquitetura. Como um barco, o Hotel está com o térreo alagado como os polders da Holanda.

O estudo para a cobertura do hotel, traz o tecido tensionado das velas dos antigos navios e moinhos Holandeses.

foto1

A cobertura tensionada de tecelagem, promove dentro do universo da saúde e sustentabilidade uma série de benesses.

A cobertura terá função de isolamento térmico e acústico. Será a partir da cobertura que faremos a captação de águas pluviais. A inclinação da cobertura conduz as águas para uma calha que percorre a longitude do edifício e desce em prumada para a filtragem feita pelas paredes verdes e reserva das águas em cisternas e no polder.

P_Hotel_Fachada_Editada

A SUSTENTABILIDADE BIOMIMÉTICA

Este projeto estabelece uma fina conexão entre o edifício, as temporalidades, o seu interior, o meio ambiente e a retomada da consciência.

A arquitetura dos espaços nasce de uma necessidade de uso, portanto, ela foi exclusivamente pensada para atender à essas necessidades acolhendo, protegendo e promovendo uma experiência arquetípica no uso desse novo lugar.

Para que as estratégias alcancem o mais alto nível de saudabilidade na edificação e mitiguem os impactos negativos ambientais, estabelecemos diretrizes que alcançarão o objetivo deste desenho a partir de um estudo global que permitiu detectar certas sinergias que promoverão a saúde da edificação e das pessoas que irão habitá-la, otimizarão recursos e minimizarão o impacto ambiental do conjunto, promovendo uma melhor qualidade de vida para seus usuários, consolidando um produto que se estrutura numa linguagem que considera o novo caminhar do planeta.

O paradigma saudável e sustentável aplicado, está baseado na utilização do clima local para conforto térmico e acústico, aplicação de materiais não tóxicos para manter a qualidade interna do ar, eficiência energética, biofilia, redução do consumo de água, reutilização de água pluvial, criação de espaços multifuncionais a integração com o entorno e a geração de AUTOSSUFICIÊNCIA.

LEGENDA . ESTRATEGIAS SUSTENTAVEIS

1. Arquitetura Bioclimática que aproveita o clima local para definir o desenho consequentemente reduzindo o consumo de energia na operação do edifício.

2. Orientação solar face nordeste com toldo de 1,00m calculado para proteção da radiação solar no verão e entrada no inverno.

3. Resfriamento noturno por evapotranspiração, com um pátio interno com fechamento de chapas perfuradas e um fio d’agua contemplativo no térreo.

4. Resfriamento por efeito chaminé com uma janela alta nos andares por convecção conduz a massa de ar quente para fora do edifício.

5. Laje da Cobertura em Woof-Framing estanque com maior durabilidade, 4x mais leve reduzindo custo estrutural, com resistência a fogo classe A.

6. Barreira radiante que reduz o ganho de calor por radiação atua como isolante térmico, aplicada com a superfície de baixa emissividade.

7. Abertura zenital nos corredores dos dois andares, reduzindo o consumo de energia elétrica durante o dia.

8. Arte escultural e pintada nas áreas comuns e intimas produzidas com materiais naturais.

9. Biofilia – integração de espécies vegetais, nativas e de produção local na arquitetura, floreiras na fachada, paredes verdes e paisagismo nas áreas comuns.

10. Fachada ventilada, garantirá isolamento térmico de aproximadamente 40% de economia de energia. Utilização de membrana isopor de alta densidade tela de anti-fissuração, plaster cimentício projetado e como acabamento de tinta mineral.

11. Isolamento térmico por lã de PET nos forros e paredes reciclando 33 mil garrafas PETS.

12. Captação da água da chuva.

13. Sistema fotovoltaico Thin-Film para geração de 50% da demanda energética.

14. Revestimento do piso com madeira de reflorestamento.

15. Caixilhos de alto desempenho acústico e térmico.

16. Plantio de espécies nativas.

17. Irrigação automatizada por gotejamento.

18. Horta orgânica vertical.

19. Pisos drenantes área externa.

20. Iluminação indireta em led.

21. Vasos Dualflux.

22. Metais com aeradores e monocomando.

23. Mobiliário de madeira certificada.

24. Vernizes e impermeabilizantes não tóxicos.

25. Automação para economia de energia.

26. Sistema de biodigestão para águas negras.

27. Sistema de tratamento de águas cinzas por wetlands com paisagismo aquático nativo.

28. Reutilização de águas cinzas com filtragem e armazenamento no polder.

29. Sistema Construtivo de paredes internas e externas em Wood-Framing com isolamento acústico de 65 dB, maior que alvenaria que suporta 55dB com resistência a fogo classe A.

30. Materiais de Zero COV’s.

31. Galeria de fotografias Van Der Werf, resgate da cultura.

32. Cerâmicas com produção local nas áreas molhadas.

33. Cobertura com Tecido Tensionado com 20 anos de garantia e 40 anos de vida útil, resistência a fogo Classe A, isolante térmico e acústico.

34. Wi-fi que aciona apenas no momento do uso.

35. Estrutura metálica revestida com madeira para isolar campo magnético.

36. Tomadas de baixa geração de campos magnéticos.

37. Ventilação cruzada para resfriamento do edifico através de basculantes acima das portas das UHS.

 

PROGRAMA SENSES

A ideia de promover vivências únicas para o hospede do Hotel Van der Werf com o objetivo de fornecer uma experiencia multiplicadora, extrapola o universo tátil e visual, alcançando o sensorial. O programa Senses Pro criado exclusivamente para este projeto pelo núcleo de tecnologia ponto.eco do Atelier O’R, traz a possibilidade de uma imersão hoteleira ligada a saúde, cuidado e bem estar de forma mais profunda atingindo a relação que ele estabelecerá com o lugar de forma sensorial.

Texturas que ele poderá sentir através do tato nos apartamentos e áreas comuns, o balanço da cama, o contato com o verde que além de estabelecer uma relação com a natureza, cuida porque limpa, a água descontaminada, os odores escolhidos por ele segundo seu estado de espírito, as cores que aliviam a carga do dia, a música que acalma e emociona e o alimento que vai além do alimento para o corpo, tratando também da alma, fecha o conceito de uma arquitetura integral que constrói esse novo ESTAR.

Ao fazer o check in pelo aplicativo ou in loco, o hospede poderá escolher o NIVEL DE IMERSAO que quer fazer no que tange a sua relação com o hotel.

Ele poderá escolher 3 programas que combinados darão um resultado segundo o seu estado anímico. Sendo assim, no apto, ele poderá aceitar o programa Senses Pro, 1, 2 ou 3 Noite Estrelada, Tarde Ensolarada ou Aurora Revigorante.

Imediatamente, o APP aciona a música que irá ouvir dentro do programa estabelecido, os óleos essenciais serão automaticamente aspersados no seu quarto e o céu estrelado do quarto e do banheiro, acenderá com a cor do programa detectado para que ele experimente essa relação sensorial personalizada.

O APP Senses Pro também irá sugerir a infusão que ele poderá tomar durante o programa, ou a fruta que poderá consumir que já estarão dispostas em todos os apartamentos como parte do menu de extras sem gerar serviço de quarto.

O cardápio do restaurante e bar do Hotel, conterá anotações em cores para que o hóspede possa consumir dentro do programa Senses Pro determinado.

O hóspede também terá a opção de escolher a la carte um programa Senses Pro que lhe convenha caso não queira o programa sugerido pelo APP, com um valor determinado para este serviço, gerando receita para o Hotel

Arte no Hotel Van der Werf

Determinando as direções da síntese das artes e do pensamento criativo humano envolvidos no nascimento da variedade de todas as formas de compreensão criativa da realidade, incluímos elementos artísticos na interação entre arquitetura e outras formas de arte: cor e linha, plástica e volume escultural. Introduzimos nesta arquitetura, formas abstraídas das obras de Escher, artista plástico holandês, em muxarabis permitindo uma iluminação natural de qualidade, observando e reinterpretando os movimentos da natureza.

COMO ATENDERAM A LISTA AZUL DO HBC

1.DESENHO ARQUITETÔNICO com Psicologia do Ambiente e utilização de cores para evitar monocromia.

2.QUALIDADE ACÚSTICA – O nível de permeabilidade de ruídos entre cômodos contíguos evita que uma conversa a altura e tons normais em um determinado cômodo não possa ser percebida no outro

3. QUALIDADE DE MATERIAIS – Ausência completa de metais, formaldeídos e gases tóxicos pesados para todos os materiais.

4. ILUMINAÇÃO – Natural presente em todos os ambientes.

5. PROJETO HIDRÁULICO – A água será filtrada garantindo a A qualidade da água remoção de cloro em mais de 70%

6. PROJETO ELÉTRICO- A fiação elétrica estará sempre a uma distância maior de 40 cm das camas e a iluminação feita por fibra ótica. Não existem campos eletromagnéticos nos locais de longa permanência

7. QUALIDADE DO AR INTERNO com ventilação natural cruzada, as paredes são higroscópicas o que permite que não haja umidade e redução de concentrações químicas.

8. TEMPERATURA – o Controle térmico é alcançado pelo desenho bioclimático

9. PAISAGISMO E ÁREAS COMUNS – Estritamente nativo da Mata Atlântica da Região e a utilização de espécies epífitas filtrantes do ar nas fachas, sala de estar e restaurante. Uma horta vertical oferece ao restaurante uma produção de infusões e temperos. As praças da Terra, do Fogo, do Ar e a praça da terra estão integradas ao paisagismo e trazem elementos esculturais que remetem ao tema de forma sensorial.

10. SUSTENTABILIDADE

Diversos materiais foram utilizados, os com zero toxicidade, reciclados e naturais. Os resíduos serão reciclados e composteiras para hotelaria instaladas na área técnica. Todos os estudos bioclimáticos foram aplicados e podem ser vistos nos cortes nesta matéria.

O canteiro de obras receberá containers que para seleção de resíduos reutilizáveis e tóxicos.

FICHA TECNICA

CONCURSO HBC . HOTEL VAN DER WERF

CONCEPÇÃO . ARQUITETURA . GESTÃO

Atelier O’R

Patricia O’Reilly

EQUIPE

Amanda Thomaz

Carla Soares

Isabel Saad

Jonatas Barros

TECNOLOGIA APP E VÍDEO

ponto.eco . Alexandre Mavignier

LAND ART

Atelier Mavignier . Alexandre Mavignier

COMPLEMENTARES

Estrutura e Instalações

Shintech . Franco Neto

Luminotécnica, Elétrica e Domótica

Luminotech . Ricardo Accioly

Ar Condicionado e Filtros

Rich Engenharia . Ricardo Hora

Sistema de Tratamentos e

Filtragem da Água

Ecotelhado . João Manuel Feijó

Cobertura Tensionada

Pitomba . Arq. Gustavo Ferrari

Cozinha

MTE Cozinhas Profissionais . Marco Hioki

Estudos paredes de terra

Taipal . Márcio Hoffman e André Heise

Paisagismo

Studio Mavignier . Adriana Mavignier

Irrigação

Greentech . Clal Maia

CONSULTORIA TÉCNICA VDW SENSES PRO

Sônia Corazza . Aromocologista

Raul Brabo . Musicoterapeuta

ThaÍs Coppio . Cromoterapeuta

Dra. Nicole Cihlar Valente  Nutric.ionista CRN3-6583

RENDERS E ANIMAÇÃO

Studio Gustavo Emanoel

 


Leave a Reply


Projetos

 

P_Hotel_Fachada_Aerea_p01-(1)
Image31
0-CAPA---Foto-Luciano-Spinelli
Image0
CAPA-IMAGEM-EM-DESTAQUE_FACHADA-PRINCIPAL
capa
CAPA
CASAdARTTERRASDESAOJOSEII
CASATERRAFAZENDADONACAROLINA
VISTA-GERAL-NOITE
unspecified
IMG5CAPA